Almavina

e a melancolia portuguesa como inspiração

O projecto Almavina surgiu em 2017 pela mão da artista plástica Liliana Pereira.

Liliana afirma "Sou uma criadora, sempre tive necessidade de inovar e trabalhar com as mãos, através das artes plásticas!" O que a fez começar este projecto foi exactamente a vontade de criar! 

Liliana já tinha trabalhado em couro, pasta de papel e estava a criar caixas de música quando quis experimentar fazê-las em cerâmica para ser mais autónoma.

Foi para o atelier de cerâmica Brâmica (no Porto) que lhe permitiu explorar a cerâmica que foi a semente da Almavina - no final abandonou a ideia das caixas de música em cerâmica devido a problemas de acústica!...

A semente germinou quando uma amiga arte-terapeuta pediu ajuda para criar marionetas de dedo em cerâmica o mais humanizadas possível: as marionetas tinham sempre caras demasiados felizes e infantis e a amiga queria utilizar nas suas sessões algo mais real.

Foi um desafio, inicialmente as cabeças tinham uma abertura enorme para serem utilizadas nos dedos. Depois foi uma surpresa: "A minha amiga ficou sem as marionetas porque toda a gente mas queria comprar".

Daí Liliana evolui as suas criações para bustos mais pequenos. O seu namorado sugeriu que os minis-bustos fossem também algo útil, funcional - são sempre mais práticos os homens!

O processo de criação culminou assim nos mini-bustos feitos em cerâmica com aplicação de cortiça, servem de rolha e também como objetos decorativos, são o ex-libris da primeira colecção!

Alma Vina comprar cerâmica online, cerâmica original, rosto típico, portugal, vinho, douro, vinho do Porto

 

A sua inspiração vem da grande afinidade com Trás os Montes, Liliana esteve sempre muito ligada à Natureza e decidiu homenagear os trabalhadores anónimos das produções vinícolas, que trazem a alma ao vinho.

Liliana cria os seus bustos com uma feição marcada e de olhos fechados, a sentir a alma e o vinho, para transmitir introspecção e o trabalho árduo do cultivo e produção do vinho. 

Pensa sempre na memória visual portuguesa, procura que os bustos tenham traços representativos do povo português mas entretanto já teve clientes estrangeiros que também se identificaram, o que foi engraçado para si!

"Gosto quando as pessoas se identificam, quando me dizem:

- Parece mesmo a minha mãe, ou

- Parece tanto o meu avô!"

Liliana cria diferentes bustos: por um lado, as mulheres de lenço, a mulher do campo e das vindimas portuguesas do início do século XX. A sua expressão é sisuda e marcada pelo trabalho árduo enquanto que o lenço representa o abrigo das intempéries da vida.

Mulher Alma Vina, rolha decorativa cerâmica, comprar cerâmica online, cerâmica original,rosto típico, portugal, vinho, vinho do Porto

 

Por outro, os homens de bigode - muito típico português! - que representam o trabalho e a força. Espelham o homem de pêlo na venta, aquele que se impõe pela sua masculinidade, trabalhador vigoroso, de expressão robusta, é um saudosista por natureza. O olhar cerrado transmite toda a nostalgia que lhe embriaga a alma.

Homem Alma Vina - rolha origial, comprar cerâmica online, cerâmica original, rosto típico português, Portugal, vinho do Porto, decoração, souvenir criativo portugal

Todo o processo de produção divide-se entre o atelier Brâmica e a sua casa.

O atelier Brâmica é um espaço de convívio, onde cada um trabalha no seu projecto, a atmosfera é tranquila e normalmente ouve-se música clássica.

Lá, Liliana faz a modelagem: os bustos saem-lhe naturalmente. Depende muito do que visualiza a partir do momento que começa a fazer a forma do rosto, vai vendo se é um homem ou uma mulher. Estes mini-bustos também lhe saem da alma!

As expressões são feitas à mão, sem nenhum molde, cada busto tem a sua personalidade: alguns são tristes, outros mais sisudos, chateados, mais bolachudo, este é o barbudo. 

É um processo demorado: depois da modelagem faz os remates e aplica o vidrado para definir as expressões.

É obrigatório esperar que as peças estejam totalmente secas para irem à mufla (forno usado para cerâmica).

Estão um dia no forno e espera-se longas horas para que o forno arrefeça e se possa abrir.

Os minis-bustos são então pintados e vão ao forno outra vez. Saem da Brâmica e em casa Liliana conclui as peças.

Cada peça demora uma semana a concluir !

Peça Alma Vina

 

Peça em processo Alma Vina

 

Alma Vina e Brâmica entrevista no Porto

 

Liliana Alma Vina na Brâmica, Porto

Liliana faz também peças por encomenda, são desafios inesperados: um pedido recente foi a representação de um casal em cerâmica como prenda de casamento. Procurou as características mais fortes do casal e explorou-as, eles eram muito expressivos o que resultou num trabalho desafiante e estimulante. Estar presa a uma fotografia é muito diferente do seu trabalho regular!

No final a cliente disse "Estes dois bustos  são vocês quando forem velhinhos", foi uma prenda de casamento muito interessante que terminou com os bustos expostos em base de madeira!

Outro pedido original foi quando lhe pediram para fazer em cerâmica um coração verdadeiro - em tamanho real !- para um cardiologista que se estava a acabar de formar!

Peça Alma Vina em base de madeira

E tu, já estás embriagada pelas peças da Almavina ?

Leva-as para tua casa!